9.3.05

Eles também deveriam ter um dia só para eles...

Depois do dia internacional da mulher parece-me bem dedicar um dia pessoal aos homens! Apenas um dia pessoal. Nada de cariz internacional porque não há essa carência. No dia pessoal aos homens eu vou dizer que os admiro e amo mas que não gostava nada de ser homem.

Na verdade eu teria medo de ser homem. Eu asfixiava, se fosse homem. É a barba, é o guarda-roupa limitado, as cores que não são de homem, a forma idêntica das camisas, os nós de gravata. Até os perfumes, bálsamos e cosméticos têm as mesmas fragâncias a ambâr, sempre. Mas isto é só o princípio.

O pior tem a ver com as decisões que um homem tem de tomar. Os papéis sociais evoluiram, mas a nossa maior liberdade gerou uma enorme desorientação nos homens. Há conquistas masculinas, é claro. Por exemplo: agora um homem pode chorar. Mas, se eu fosse um homem, não choraria muitas vezes. Porque elas adoram embalar e confortar mas continuam a sonhar com protecção. Como elas estão mais informadas e já não são expulsas de casa se não forem virgens, agora tudo parece ser mais simples. Mas, se fosse homem, ainda me sentiria mal se uma miúda fosse mais experiente do que eu e no final me dissesse docemente "não te preocupes, a técnica é o menos importante".

É ao nível profissional que eu mais detestaria ser homem. Um homem não pode parar de trabalhar. Nem quando os filhos nascem, mesmo que se interesse menos do que ela pelo seu trabalho. Nem quando está cansado. Nem quando não há trabalho. Não é só pelo imperativo financeiro. Fica mal tratar da casa e das crianças. se os miúdos estão doentes, não dá para pedir ao chefe para sair, dizendo que a mulher tem uma reunião importante lá no trabalho dela. Eu acho que os homens têm poucos direitos no mundo laboral e que o patronato tem de começar a encará-los como seres que têm as suas fragilidades. Além de que, é sabido, os homens têm que ser o maior contribuinte para o lar. Se fosse homem, eu não me importaria que ela ganhasse mais do que eu, mas não ia confessar isso a muita gente.

Tudo isto deixa os nossos homens perdidos. Às vezes até são inteligentes, mas começam a não distinguir o chão do cesto da roupa suja, a não perceber que o papel higiénico não nasce no porta-rolos, que não foi por milagre que a loiça apareceu lavada, que não perdem a identidade se não ficarem com o comando da televisão na mão, etc.. Já todos ouvimos falar destas situações! Nos casos extremos começam a sofrer de atrofia cerebral, e esquecem datas de aniversário e outras datas importantes. Às vezes tornam-se impacientes e deixam de nos acompanhar aos centros comerciais.

Também acontece distraírem-se com muitas mulheres ao mesmo tempo. Eu compreendo, porque nenhuma de nós sozinha os consegue entender por completo. Mas inquieto-me quando os vejo acreditarem na ternura e compaixão, no fogo e atrevimento de uma fotografia de outdoor.

Não, eu juro que sofreria imenso se fosse homem. Por exemplo, como me sentiria só e estranho se não gostasse de futebol. Era capaz de ser pior do que ser gay mas, se fosse homem, era gay de certeza.

É por tudo isto que dedico este dia aos homens. Vou dar-lhes uns miminhos de poesia, um toquezinho de música e depois uma imagem que desperte a imaginação. Porque os homens são diferentes mas têm direito a tudo, como nós.

17 comentários:

Didas disse...

Adorei este texto!
:)))

Ricardo Garcia disse...

Muito bem, de facto. Vou só ali ao rés-do-chão buscar a minha auto-estima...

covinhas disse...

inspirada, a menina, não??? mas onde é que foste buscar tanta inspiração?

Januário disse...

Bem!!! Nem digo nada...

Helder disse...

Xiiiiiiiiii!!!!!! Será que compreendes, mesmo, os Homens? Ou, será que queres/gostavas que os Homens compreendessem a MFR?

Homens! Mulheres! Sem ambiguidades. Cada qual na sua pele! Cada um com as suas diferenças. Ambos numa sociedade/vida/relação sem preconceitos.

Dia da Mulher!...Dia dedicado aos Homens!...PORQUÊ?...As Mulheres e os Homens não são Mulheres e Homens todos os dias? (salvo uns e umas que não sabem o que são)

Em frente...reconheço alguma razão nalguns dos teus comentários :( mas...aceita, e acredita, é difícil compreender as Mulheres, nem sempre se consegue...e não será unicamente por causa do Homem...bjs

Bagaço Amarelo disse...

O quê?!!! mas então... onde é que nasce o papel higiénico?

MRF disse...

Homens,

Este foi um exercício de adoração, simplesmente porque, como dizia Truffaut, vos considero "adoráveis".

Não é uma ataque à v/ auto-estima, é um comentário (irónico) à sociedade em que todos vivemos. A verdade é que nos habituamos a posicionar a mulher como o ser mais desprotegido - até pq para isso apontam quase todos os indicadores socio-económicos (e centremo-nos apenas no dito Ocidente). E esquecemo-nos de perspectivar a condição masculina. Em Portugal, associar essa condição a um desfavorecimento, parece provocação! Mas a verdade é que há matérias onde tem sentido discutir a paridade (licenças de paternidade, direito de custódia dos filhos em caso de divórcio and so on).
Nem vou aos indicadores de stress/taxas de suicídio/... que crescem no seio da população masculina!

Ao contrário do que vos possa parecer, não existe aqui nenhuma alma de Calimero! Helder, gostei da tua frase: somos homens e mulheres todos os dias. Mas reafirmo: ainda vos é difícil ser "mulher".

transpose disse...

Concerteza já foste homem noutra encarnação...
Tu é k devias ter lido o texto no encontro...eu sei...só o escreveste agora...
Culpa tua... já o devias ter escrito antes. ;)

Parabens.Sem palavras

tounalua disse...

:) Texto fantástico e que subscrevo inteiramente! Ainda assim gostava de ver um dia uma análise "científica" ao prolongamento corporal masculino a que vulgarmente se chama "comando". Fascina-me, esta dependência...

Solteirão disse...

Não consegui resistir, foi mais forte do que eu...

A resposta:Na verdade eu teria medo de ser mulher. eu asfixiava, se fosse mulher.

É a depilação, o medo de estar fora de moda, os cuidados constantes e permanentes com a aparência. São os saltos altos, verdadeira tortura do mundo moderno, o cabelo que só seca depois de longos minutos, é o rímel nos olhos, o blush, a sombra, e as duzentas e cinquenta coisas que guardo na casa-de-banho. Mas isto é só o princípio.

Depois, bom, depois é querer igualdade de direitos mas gostar tanto que nos abram a porta, que nos protejam e nos paguem o jantar. Não gostar de machistas, mas gostar de homens másculos, mesmo que isso seja muitas vezes um contra-senso.

Também não gostaria, se fosse mulher, de ser muito bonita, porque sei de antemão que 95% dos homens com quem tivesse uma relação, de amizade ou profissional, já que os restantes 5% seriam familiares, tinham como objectivo, consciente ou inconscientemente, outro tipo de relação em mente.

Sabia também, se fosse uma mulher com as mamas grandes, quando falassem para mim teriam muito dificuldade em olhar para mim acima do pescoço. Se tivesse as mamas pequenas diriam que saio ao Pai.

Se fosse feia, ou mesmo menos bonita, e boa profissional, diriam que tenho é falta de peso; se fosse bonita diriam que dormia com o director da empresa.

Não seriam só os homens a dizer isso, aliás, seriam mais as mulheres.

Teria muitas amigas, e muitas delas sorririam muito quando estão comigo, mas a maior parte deles diria nas minhas costas: que estou mais gorda, que o meu namorado é um sacana e eu sou uma coitadinha, e que ando com a mania desde que fiz as novas madeixas.

Ah, tinha que ter madeixas.

Não gostaria de chorar quando vejo telenovelas, não gostaria de me masturbar sem me sentir culpada, não gostaria de não gostar de cozinhar sem me sentir culpada, não gostaria de fazer desporto sem sentir que estaria a perder a minha feminilidade, não gostaria de, efectivamente, saber que a maior parte das mulheres são menos hábeis ao volante, não gostaria de saber que sou o alvo preferencial para violadores e assaltantes, e saber que pouco poderia fazer porque fisicamente seria mais fraca do que a quase totalidade dos homens.

Também não gostaria de andar na rua e ouvir piropos e não poder mandá-los para a puta-que-os-pariu só porque não fica bem a uma mulher dizer essas coisas, não gostaria de comprar revistas que só dizem banalidades, que tem 300 páginas de publicidade e que me dizem o que devo vestir e como devo ser.

Não gostaria de não me arrepiar todo ao ver o 1º golo do Maradona contra a Inglaterra e só conseguiria tirar o soutien após 5 minutos de árdua luta.

Resumindo; eu não gostaria de ser mulher, da mesma forma que a grande maioria de vocês não querem ser homens.

mas também não mudava nada, porque, incrivelmente, gosto mesmo é de vocês assim.

MRF disse...

Fantástico, ex-solteirão! (Covinhas, o moço é esperto, tem piada e não deixa de ser amoroso -trata-o bem!)

Vais ter direito a tribuna! beijinhos

Ananda disse...

Adorei o texto! Realmente... Coitados! Deve ser bem chato ser homem! Beijinho!

mfc disse...

Vou comentar o texto, mas antes peço-te um favor.
Põe também os comentários do Haloscan, que se está aqui um tempo imenso para comentar. Tenho passado por cá, mas é impossível deixar um comentário.
Agora o texto.
Fiquei sem palavras. É bonito ver alguém que nos elogia com sinceridade, ademais de bem escrito, como sempre.
Um grande abraço.

mfc disse...

Vou comentar o texto, mas antes peço-te um favor.
Põe também os comentários do Haloscan, que se está aqui um tempo imenso para comentar. Tenho passado por cá, mas é impossível deixar um comentário.
Agora o texto.
Fiquei sem palavras. É bonito ver alguém que nos elogia com sinceridade, ademais de bem escrito, como sempre.
Um grande abraço.

rodrigo terra disse...

Fantástico!
Mas estou aqui a ver muito homem que ficou com a auto-estima atingida.
Ironia e sentido de humor, senhores... já não se usa?

Rosário: keep up the good work!
Beijocas,

aardeapplen

Maria Heli disse...

Finalmente! Ontem tinha tentando mas tb não tinha conseguido entrar.
Só para dizer que partilho deste texto assertivo, deste olhar minucioso, lúcido e bem humorado sobre nós - homens e mulheres - que, dou conta, "activou" , ainda, a reflexão divertida do Solteirão, entre outros.
Leituras cruzadas e convidativas :)

Barão d'Holbster disse...

É interessante que após ler o texto fiquei a gostar mais de ser homem. Pois se os homens são mesmo assim como descreves, ainda bem que eu gosto é de mulheres. Se os homens são assim tão maus, que os aturem as mulheres...