3.10.05

Willy Wonka, Willy Wonka, the amazing chocolatier





Para se despedir de Veruca Salt, os Oompa Loompa cantam: Who went and spoiled her? Who indeed? Who pandered to her every need? Who turned her into such a brat? Who are the culprits, who did that? The guilty ones - now this is sad - are dear old mum and loving dad.

Pois esta dear old mum foi ao cinema com as suas two little daughters. Primeira nota: sim, todos padecemos um bocadinho dos defeitos dos pais dos cinco eleitos para a visita à Fábrica, e sim, os nossos filhos têm um pouco de Veruca, de Augustus Gloop, de Violet Beauregarde, de Mike Teavee e - felizmente! - de Charlie Bucket. Segunda nota: o filme é passível de ser compreendido por quem pode ler as legendas e por quem só vê as imagens.
Terceira nota: a fábula de Roald Dahl que Tim Burton adaptou (com John August) transborda de fantasia, ironia, magia, acutilância, ternura e moralismo. É uma fábula! Num cenário rasgado com muita imaginação, cheio de cor e animação, e com um casting e desempenhos perfeitos. Surpreendente, sim.
Quarta nota: com todas as mensagens ou morais da história, este filme é sobretudo um sweet, sweet candy!

Mike Teavee: Why is everything here completely pointless?
Charlie Bucket: Candy doesn't have to have a point. That's why it's candy.

2 comentários:

George disse...

Inevitably this always catches up with you and usually at the worst possible time Moving . Moving

George disse...

Do you always seem to have just too much to do and too little time to do it? Then you need Quick .Quick