6.11.06

Pergunta para engenheiros

No início dos anos 90, o Governo decidiu modernizar a Linha do Norte, de forma a que os Pendulares fizessem Campanhã-S.Apolónia em 2h15m. Sabia que tinha havido atrasos nas obras. Os dados que tenho são de final de 2001 e, nessa altura, 70% da remodelação ainda estaria por fazer. Causas: erros graves de projecto e dificuldade para realizar obras numa linha com tão elevado tráfego (a maior parte dos trabalhos efectuam-se à noite, e durante um tempo limitado)(é mais fácil construir uma linha nova!). 2006 era o ano projectado para finalização dos trabalhos. A ver se o Pendular finalmente percorria a Linha do Norte no tempo recorde anunciado!

Caíram fortes chuvas nos últimos dias. A Linha do Norte foi suspensa em várias partes da via (a pior zona: entre Fátima e Caxarias; mas também: entre Souselas e Coimbra B, perto das estações do Pombal e de Santarém, etc.). Causas: alagamento, estragos consequentes, queda de catenárias, etc..
Viram o estado em que ficou a Linha do Norte nesses pontos, nomeadamente perto do túnel de Caxarias? Viram as valas sob os carris?
Não quero especular, mas acho que tivémos muita sorte por não ter ocorrido um acidente de grandes dimensões.

Dada a importância da Linha do Norte, é claro que é uma vergonha para o país o caos que as chuvadas provocaram. A remodelação prevista nos anos 90 cobriu essa parte da via?

Mas não é essa a minha pergunta para os engenheiros... Acontece que, oh espanto, ouvi o porta-voz e técnicos da Refer prometer a máxima brevidade nos trabalhos ___ no máximo 48 horas, agora até segunda feira, dia 6/11, demanhã.


Mais uma vez: viram aquelas valas?
Apetece-vos passar por lá nos próximos tempos, sentem-se seguros, conhecendo a forma precipitada como que se fizeram os trabalhos de reconstrução da via? Espreitem a foto e, senhores engenheiros, respondam: é possível criar bases de sustentação dos carris, sólidas e duradouras, neste período de tempo? Note-se que as condições metereológicas continuam instáveis.

Eu gosto muito de andar de combóio e sou utilizadora dos serviços da Refer, mas juro que vou pensar duas vezes!

1 comentário:

Black_horse disse...

Será culpa dos engenheiros??ou será culpa das empresas que construiram aquele troço?quem perceber minimamente de eng perceberá que as drenagens e os escoamentos de água nao eram suficientes para aquele tipo de caudal.mas será que algum sitio estava preparado para receber tanta chuva?nao sabemos.ou ainda será culpa dos senhores da meteriologia?