9.11.06

I. O Humor de Raymond Devos

Eu falei de humor francês. Raymond Devos é belga, mas ninguém como ele torceu, espremeu em todos os sentidos a língua francesa, ou jogou de forma tão sábia e sabida com o sentido das palavras e o ritmo das frases. As suas estórias são absurdas, barrocas, surrealistas, devonianas! Num sketch intitulado "Sou parvo" (Je suis imbécile) saiu-se com esta: “Ele deu-me provas da sua imbecilidade com tal inteligência e subtileza que fiquei a pensar se ele não me tinha tomado por um imbecil". Acontece-me muitas vezes ter essa impressão. Ainda hoje, ao ouvir o Pacheco Pereira criticar as medidas "propagandistas" do Governo que incomodam a Banca. Mas enfim, eu prefiro o slogan: "Faites l'amour ne faites pas la guerre".

Espero que o vosso
francês permita compreendê-lo. Fiquei a pensar naquela do "Portugal para os portugueses" mas depois decidi não levar a mal. De facto, o cúmulo da xenofobia seria um país de emigrantes decidir não gostar de estrangeiros. Infelizmente, no período em que vivi em França, vi um cartaz no meu bairro com um apelo à "França para os franceses". Aí, levei a mal.

Apresento-vos Raymond Devos, um cómico a que chamavam poeta.


6 comentários:

Didas disse...

Mas por que diabo me está o haloscan a dizer que eu fui banida de comentar neste blog?!

MRF disse...

oh Didas, não faço ideia! eu estou a experimentar a moderação de comentários, deve ter havido um problema qqr... sorry!

Bandida disse...

...e o que são os poetas?




...




abraço!
_____________________

Didas disse...

Lol! Eu já fiz pior! Já apaguei o farinha todo por duas vezes a fazer experiências!

MRF disse...

Bandida, às vezes são cómicos. :)

mas aqui apetece-me pensar antes no que é um cómico. vão seguir-se mais. que o Herman não é tudo, dasss...

MRF disse...

... mas já corrigi, Didas, podes voltar aos "rapidinhos"! bj