1.4.08

Quando as escolas são geridas por Autarquias...III


(...) Eram 12.20 horas quando uma funcionária afixou na porta a mais recente deliberação da autarquia. Um edital define que a venda de senhas passará a ter lugar também nas sedes dos sete agrupamentos de escolas do concelho, decisão que resulta das reuniões realizadas na última semana.
Os pais que aguardavam há horas pela sua vez não esconderam a sua indignação. «A reunião não foi hoje. Porque é que só agora é que informam?», questionavam. «As pessoas que estão aqui trabalham», atiram, perante uma funcionária impotente. Eles, que estão lá em cima, é que deviam vir aqui explicar a quem está aqui há horas o que é que se passa», defendia António Rodrigues, que continuava com a senha 91 na mão.(...)



Convém ler este artigo do Diário de Aveiro. O desnorte é completo!

Esqueceram que os encarregados de educação dos alunos de S. Jacinto, por exemplo, continuam a ter que se deslocar à cidade de Aveiro. Neste caso, agora podem escolher entre o famoso Gabinete de Atendimento Integrado da CMA ou a Escola João Afonso, sede do Agrupamento de Escolas de Aveiro. Pergunto: as escolas-sedes de Agrupamento, que lutam com falta de recursos (o número de auxiliares de educação é, regra geral, insuficiente) têm capacidade para dar resposta à nova exigência camarária? O vereador Pedro Ferreira ousa sobrecarregar essas escolas com a venda de senhas de refeição - para centenas/milhares de crianças que frequentam todos os estabelecimentos de ensino de cada Agrupamento? Não posso acreditar!

Se o novo regulamento foi motivado por questões jurídico-contabilísticas, que questões (decreto, artigo, alínea) são essas? Se os Agrupamentos podem passar recibos, por que razão não podem as outras escolas fazê-lo?

Arsélio Martins dizia hoje, nas jornadas parlamentares do BE, que certas decisões só têm um nome: são estúpidas. O professor não se referia a este caso mas, para mim, o novo regulamento é simplesmente estúpido. Por favor, deixem ficar as coisas como elas estavam, não mexam mais! Que os pais possam gerir a compra das senhas de refeição consoante a sua possibilidade e disponibilidade, no local de sempre - as escolas que os filhos frequentam! Querendo alterar qualquer coisa, facilitem apenas o processamento da venda e reservas de dia de refeição, criando um programa informático específico (e tão simples!) para as escolas.


Adenda: O que significa isto? Estaca zero?

«Os Agrupamentos de Escolas poderão ainda delegar estas funções noutras entidades que os mesmos acharem convenientes para os encarregados de educação

Artigo completo no site da rádio Terra Nova

4 comentários:

JMO disse...

Cara Maria do Rosario Fardilha,

Tem filhos em São Jacinto? Não tem, pois não? Senão saberia que as refeições do jardim de infância são servidas por protocolo com a junta de freguesia e as da escola básica com uma entidade. O mesmo acontece em Eirol. Por isso o exemplo que refere não tem cabimento sequer nesta argumentação.

Quanto ao que está escrito no nosso comunicado, é apenas para o benefício dos encarregados de educação - em pelo menos dois agrupamentos - aradas e santa joana - as juntas de freguesia, com horário mais alargado, disponibilizaram-se para vender as senhas.

MRF disse...

Caro João Oliveira, tem filhos?

Caso tivesse saberia que apenas esse exemplo não terá sido o melhor para a argumentação que desenvolvo (agradeço a infomação que me dá, apesar de saber que está apenas a cumprir uma obrigação profissional). Mas o que é certo é que este novo regulamento não traz NENHUM benefício aos encarregados de educação, muito pelo contrário.

Dada a função que ocupa na CMA presumo que tenha lido o DA de hoje. A notícia da primeira página relativa ao fado dos pais intitula-se: «Parece uma medida de terceiro mundo». É mesmo! A verdade é que, depois de decidirem encaminhar milhares de encarregados de educação para o mesmo síio - o Gab. de Atendimento Integrado da CMA, agora voltam um pouco atrás e a venda das senhas de refeições escolares será feita nas sedes dos Agrupamentos de Escolas ou nas Juntas de Freguesia.

O fluxo para cada ponto de venda é menor mas não deixa de ser significativo (para obter informação fidedigna - mesmo que não actualizada para o ano lectivo 2007/2008, consultei os dados relativos à população escolar disponíveis on line no site da CMA).

Alunos de EB1 (excluo os jardins de infância):
- no Agrupamento de Escolas de Aradas (EB1 Aradas, EB1 Leirinhas, EB1 Verdemilho, EB1 Bonsucesso 1,
EB1 Qta Picado, EB1 Bonsucesso 2)
existem cerca de 347 alunos distribuidos pelas várias escolas e os respectivos pais terão que se deslocar à
Junta de Freguesia de Aradas;

- O Agrupamento de Escolas de Aveiro (EB1 Barrocas, Glória, EB1 Santiago, EB1 Vera Cruz) engloba cerca de 1 milhar de crianças (excluídas as de S. Jacinto), que passarão a dirigir-se à E.B. 2/3 João Afonso;

- Agrupamento de Escolas de Cacia –os pais de 297 alunos de Cabeço, Qtã Loureiro, Taboeiro, Cacia, Póvoa Paço, Sarrazola e Vilarinho passarão a dirigir-se à E.B. 2/3 de Cacia;


- Agrupamento de Escolas de Eixo – venda de senhas na E.B.I. de Eixo a296 alunos. A EB1 de Eirol contempla apenas 29 alunos! Os outros são de Azurva, Horta, Requeixo, Taipa e Eixo, obviamente. A deslocação a outra escola para compra de senhas de refeição é benéfico à maioria dos encarregados de educação?

- Agrupamento de Escolas de Esgueira – Venda na E.B. 2/3 Aires Barbosa de senhas para 522 alunos!

- Agrupamento de Escolas de Oliveirinha – Venda na E.B. 2+3 Castro Matoso de senhas para 376 alunos, vindos de Nariz, Verba, Quintãs, Póvoa do Valado, Mamodeiro, Costa do Valado e Oliveirinha.

- Agrupamento de Escolas de São Bernardo – Venda na E.B. 2+3 de São Bernardo de senhas para um universo de 668 alunos oriundos de 6 EB1!

O rol é claro. Só não vê o absurdo da situação quem não quer. Insisto: a medida é simplesmente estúpida!

JMO disse...

Maria do Rosário,

eu não entrei na questão da argumentação, se a Rosário tem ou não razão. As suas questões foram entregues inclusive ao Vereador da área. Eu não a questionei em relação a nada.

Apenas alerto que a argumentação de São Jacinto, que até foi usada por uma pessoa com responsabilidades, é falsa.
Quanto ao mais, entendo perfeitamente a sua atitude.

MRF disse...

Ok, João Oliveira. Aguardarei então resposta às perguntas:

Se o novo regulamento foi motivado por questões jurídico-contabilísticas, que questões são essas? Qual é o decreto-lei, artigo, alínea, que fundamentam a decisão de alteração do regulamento? Se os Agrupamentos podem passar recibos, por que razão não podem as outras escolas fazê-lo? A Gertal, empresa privada, emitia os recibos que as escolas entregavam aos encarregados de educação. Por que razão a CMA não adopta esse procedimento? Para quando a criação de um programa de software que permita às escolas fazer mais facilmente a conta-corrente dos almoços. Actualmente o processo é moroso (ocupando uma boa parte do tempo de uma funcionária) porque é tudo feito à mão, pelo menos na escola que conheço.