24.3.08

Quando as escolas são geridas por Autarquias...

... que têm sentido de missão, a coisa resulta. Mas, e quando não é assim?

[Vale a pena ampliar a imagem]


A Câmara Municipal de Aveiro decidiu complicar a vida aos pais e encarregados de educação do concelho de Aveiro (talvez mesmo de vários concelhos do distrito/é um dado a confirmar). A partir de 1 de Abril, estes serão obrigados a comprar as senhas de refeição num único local: o "Gabinete de Atendimento Integrado" da CMA (sito no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro – Cais da Fonte Nova), em vez de o fazer nas escolas que os filhos frequentam. Entre as 8h30 e as 16h, mais de um milhar de pais passarão a dirigir-se a esse local para comprar as refeições dos filhos. Se o novo procedimento se aplicar a todos os Agrupamento de Escolas, para além do de Aveiro (e incluir o de Aradas, Cacia, Eixo, Esgueira, Oliveirinha e S. Bernardo), o novo procedimento vai afectar cerca de 4000 famílias.

Parece demasiado insano para ser verdade, mas eu própria recebi este Aviso da CMA. Certamente para evitar contestações imediatas, o Aviso foi entregue aos pais em período de férias. Na EB1 que as minhas filhas frequentam, esse Aviso foi distribuido a 19/03, dia previsto para a tomada de conhecimento das avaliações.

Eu moro a uma distância curta do dito Gabinete e tenho um horário de trabalho flexível, mas essa não é certamente a situação da maioria dos pais e encarregados de educação. A EB1 de S. Jacinto, por exemplo, pertence ao Agrupamento de Escolas de Aveiro. Quem vai pagar as manhãs ou as tardes de trabalho perdidas em deslocações pelos encarregados de educação?

Terá a CMA consciêcia de que pagar antecipadamente "blocos" de refeições significa também um esforço financeiro acrescido para muitas famílias? Existem alunos isentos desse pagamento, mas quantos dos não isentos vivem em situação de carência?

O novo procedimento, pressionando as famílias a comprar senhas para todo o período lectivo (para evitar várias deslocações ao dito Gabinete), acaba por se tornar num empréstimo dos pais à CMA! É escandaloso!

Faço parte da Direcção da Associação de Pais da Escola das minhas filhas e por isso não me tenho pronunciado aqui, em nome pessoal. Hoje vou fazê-lo. Sou mãe e devo reclamar pelos direitos das minhas filhas! A maior escola EB1 do concelho não tem biblioteca nem um recinto desportivo digno desse nome! A maior escola só tem um vigilante a controlar entradas e saídas de (350) alunos porque a Associação de Pais se bateu por isso. Da CMA conseguimos apenas o favor de uma contribuição no valor de 100 euros mensais para o salário do funcionário que contratámos. A Junta de Freguesia (Glória) dá outros 100 euros e a Associação de Pais vende louça, faz quermesses, para garantir que a pessoa em causa receba pelo menos o salário mínimo nacional. Em Dezembro passado, pedimos uma banca à CMA para recolher alguns desses fundos: nas fotos podem verificar o apreço que a CMA revelou pela iniciativa. Ao sol, ao vento e à chuva, vendemos material que algumas fábricas da região nos ofereceram. O salário e a vigilância estão agora assegurados, mas só até ao final do ano lectivo.


O rol de queixas seria interminável. Eu sei que a responsabilidade do executivo camarário actual começa apenas no período a partir do qual foi eleito, mas em dois anos o que prevalece é uma atitude autista e fracos valores. Recentemente foi estabelecida uma parceria público-privada para construção/recuperação do parque escolar. Todos temos consciência de que por trás disso se esconde um negócio pouco claro - apareceu uma única candidatura que foi logo aceite. Não há conhecimento de pormenor nem garantias relativamente a essa parceria que vai condicionar o futuro do concelho em termos de educação. A coligação PSD-CDS tem a maioria e decidiu sozinha sobre uma matéria fundamental.

Por tudo isto, duvido que um regulamento "caricato" vá abanar a cidade. Mas era importante dar a entender a quem governa esta cidade que não estamos todos a dormir.

É o mínino poder comprar as senhas de refeições dos nossos filhos na própria escola e poder gerir a sua compra em função da nossa disponibilidade. Que ideia estapafúrdia é essa de obrigar pessoas que trabalham a se deslocarem propositadamente a um edifício da CMA para reservar "de atacado" almoços para os filhos?

Enviei uma cópia do Aviso da CMA a representantes de todos os partidos políticos (Distrital do PSD incluída). Raul Ventura Martins (PS) reagiu já no seu
Margem Esquerda. O BE enviou um Comunicado à Imprensa (que destacarei quando for possível).

Espero que os pais e as Direcções dos Agrupamentos de Escolas se unam contra o novo procedimento que a CMA pretende instaurar. É uma questão de bom senso.




Adenda II: Notícias nos Media - OLN, Terra Nova, Aveiro FM, Notícias de Aveiro

3 comentários:

Anónimo disse...

Muito Obrigado pelo alerta e pelo contributo de cidadã atenta. Também sou pai de crianças que se aproximam do 1º Ciclo básico. Os acontecimentos que descreve são deveras preocupantes e reforçam a minha convicção de que as mudanças no funcionamento da rede escolar do concelho de Aveiro, requerem uma atenção redobadra de pais e cidadãos que se preocupam com o futuro do ensino em Aveiro.

PJ

MRF disse...

Caro PJ, a rede escolar é uma manta de retalhos e passa-se o tempo a tapar buracos aqui e ali. Mas a participação dos pais é muito reduzida. Como noutras matérias, predomina um enorme alheamento. ___________ Mas existem coisas positivas e a melhor será a de encontrar professores motivados e competentes, e isso eu encontrei.

Saltapocinhas disse...

esta aberração é extensível a todos os agrupamentos, sim.

se tu te queixas e até reconheces que moras perto, imagina as pessoas de quintãs, póvoa do valado, nariz, verba...

é vergonhoso!