20.9.06

Ask the dust ou da poeira do tempo

Barbara Stanwyck, 1937

E perguntam vocês___ Barbara Stanwick? Pois, já vos conto tudo. Mas ela vem mesmo a propósito agora que está a decorrer o 10° Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa (de 15 a 24 de Setembro). Se a Barbara era lésbica? Não sei, não interessa. O que quis registar aqui foi a imagem da mulher que, pela primeira vez, ousou representar o papel de uma lésbica num filme de Hollywood. Barbara Stanwick foi Jo Courtney em 1962 no filme Walk on the wild side de Robert Dmytryk (They said, hey Sugar, take a walk on the wild side, I said, hey honey, take a walk on the wild side. esqueçam o Lou Reed).

E como é que soube isso? Porque andei a investigar os argumentos escritos pelo escritor americano John Fante e o Lou Reed pulsou a tecla do filme com o mesmo nome da canção. Disse John Fante. Why?__ Já viram Ask the Dust? Então já sabem que este é um filme que não se aconselha. Quanto ao autor do livro que inspirou o realizador Robert Towne, fiquei curiosa: em 1980, Charles Bukowski exigiu à sua editora que o livro Ask the Dust fosse republicado (não enviou novos trabalhos à Black Sparrow Press enquanto isso não aconteceu) e as questões colocadas por Arturo Bandini, o protagonista deste e outros livros de Fante, o seu alter-ego, dizem, __ sobre a escrita, a ambição, a imigração, permanecem actuais. O filme permitiu-me perceber um pouco do universo do escritor. Mas sinceramente, salta à vista que Robert Towne não sabe escrever diálogos, ele torna patético o que poderia ser belo. Os dois actores principais, plenos de atributos físicos, Salma Hayek e Colin Farrell, parecem tolos. Salva a este filme uma soberba fotografia. ou melhor, não salva. Melhor mesmo é começar a procurar umas traduções de John Fante. ou ver uns filmes com a Barbara Stanwick. que eles sim, resistem à poeira do tempo.

1 comentário:

ângela disse...

sem dúvida que é isso que vou fazer! Obrigada por estas informações preciosas e pela fotografia desta mulher liiinda!
Bj