25.9.06

República e Laicidade

Picasso, Marianne


Comecemos por definir laicidade. Segundo Étíenne Pion (EP), é um conjunto de valores e ao mesmo tempo um sistema de vida social e cívica. Quais são esses valores? O primeiro é o da liberdade absoluta da consciência, a liberdade de crer ou não num Deus, de ter uma religião ou de mudar de religião, ou de ser ateu. Quebra-se assim uma ideia preconcebida em relação à laicidade. Segundo EP um ateu é geralmente laico mas nem todos os laicos são ateus.

O segundo valor ou princípio é o de que a liberdade de consciência supõe liberdade de expressão. Seria um paradoxo poder pensar e não poder expressar o pensamento. (...)

Todos estes aspectos dizem respeito a um conjunto de valores abstractos e filosóficos que caracterizam o pensamento laico. Mas existe uma segunda perspectiva obrigatória a ter em conta para compreender a laicidade. É preciso compreender como os sistemas sociais, cívicos e jurídicos, regulados por instituições, aplicam o ideal laico. (...)



Escrevi uma série de três textos sobre a questão da laicidade em Fevereiro/Março de 2005, por ocasião da passagem por Aveiro de Étienne Pion, presidente da CAEDEL - Centre d’Action Européénne Démocratique et Laïque. Agora, a Associação República e Laicidade, está a colocar no seu novo site/blog alguns "textos de referência" do seu arquivo e esses meus textos estão on line. Porque Étienne Pion é absolutamente esclarecedor relativamente à(s) problemática(s) da laicidade, penso que vale a pena ler o texto na íntegra. Se ainda não conhecem, esta é também uma boa ocasião para ficarem a conhecer a Associação República e Laicidade e pensar numa possível adesão.

2 comentários:

francis disse...

Entretanto, o conceito "laico" leva-nos a "leigo". São resquícios dum passado presente :-)

MRF disse...

sim Francis, em muitos dicionários, "laico" é sinónimo de leigo. mas há dois sentidos para leigo: 1.ignorante ou desconhecedor de um assunto; 2.secular

"Resquício dum passado presente é ver "Laico/leigo/secular" ser muitas vezes definido como "não religioso". Quando aqui defendo os valores da laicidade, não pretendo combater nenhuma religiosidade, apenas "exigir" que essa vivência pertença à esfera privada do indivíduo e que o que é público deixe de ser "abençoado".

bj