16.6.05

A última vontade dos Sábios

Álvaro Cunhal: um funeral com muitos amigos mas sem discursos.

Eugénio de Andrade: enterrem-me vestido de pijama porque morrer é natural.

As suas vontades foram respeitadas.

7 comentários:

a das artes disse...

Não sabia dessa vontade do Eugénio A curiosidade: Faz hoje 2 meses que a minha Rafaela partiu. O Eugénio era o seu poeta preferido. Já no hospital li-lhe poemas dele. Desde sempre, a Rafaela disse que queria ir embora apenas com o meu roupão grenat no corpo. E foi...
http://nossaprainha.blogspot.com

Carlos Barros disse...

pelo menos respeitaram-nos, ainda bem... nem sempre fazem isso.
duas bonitas homenagens

Shadow disse...

fiquei fascinada ao saber que ele se encontrava na urna de pijama e chinelos de quarto... sempre dizemos que a morte é uma passagem... que é natural, nada mais natural do que a serenidade de um confortavel pijama e chinelos de quarto

MRF disse...

Para "a das artes": confesso que o seu comentário me deixou triste, mas tão triste, que demorei tempo a voltar aqui. De vez enquando temos a certeza de que afinal não existem palavras que cheguem. Mas com a certeza de que nem o poeta poderia mitigar a saudade, deixo as que fui arranjar, insuficientes. E então, antes de mais, obrigada pela visita. E depois, que o aperto no coração se vá soltando, que a serenidade chegue sem se darem conta, e com ela todas as alegrias. Mamã do roupão grenat, esta mamã deste lado, que nem a conhece, abraça-a de forma muito sentida.

MRF disse...

Para "a das artes": confesso que o seu comentário me deixou triste, mas tão triste, que demorei tempo a voltar aqui. De vez enquando temos a certeza de que afinal não existem palavras que cheguem. Mas com a certeza de que nem o poeta poderia mitigar a saudade, deixo as que fui arranjar, insuficientes. E então, antes de mais, obrigada pela visita. E depois, que o aperto no coração se vá soltando, que a serenidade chegue sem se darem conta, e com ela todas as alegrias. Mamã do roupão grenat, esta mamã deste lado, que nem a conhece, abraça-a de forma muito sentida.

SaltaPocinhas disse...

Gostei da ideia do pijama, achei genial...Para que hão-de ataviar as pessoas como se fossem a uma festa? afinal é como estar a dormir e é a roupa mais confortável que existe no mundo.
(Hesitei se havia de comentar ou não, face ao 1.º comentário. Ia brincar mais mas não me atrevi. estou chocada)

K@ disse...

Como inculto "profissional" que sou, não conhecia essa última vontade de Eugénio de Andrade.

Bem catita! No meu caso, se puder ser isso, num caixãozinho MUITO almofadado e tal... melhor!

É que a malta gosta de "dormir" confortável!...

:-)