18.9.07

Notas sobre uma escola

A escola do 1º Ciclo que as minhas filhas frequentam é uma das maiores, em número de alunos, do país. O ano passado, 320 alunos frequentavam este estabelecimento de ensino. Depois de mais de trinta anos sem obras de melhoria das instalações sanitárias, o novo ano escolar começou com a inauguração de dois blocos de casas de banho novinhos, graças à pressão da Associação de Pais e à existência de uma verba antiga, já aprovada pela CMA, destinada exactamente a essas obras (não imaginem que foi simples passar do plano à prática).

A escola continua sem um pavilhão desportivo adequado e sem biblioteca. Teria sido possível, e foi planeado, adaptar algumas salas (duas), de forma a poder instalar-se uma biblioteca. Teria sido possível integrar esta escola e seus professores no projecto
Theka/Gulbenkian. Mas nada disso foi feito. No segundo ano após a criação do Plano Nacional de Leitura, o Plano para desenvolver hábitos de leitura nesta escola limitou-se à fixação de uma lista com algumas dezenas de livros adequados à faixa etária dos nossos filhos, livros que devemos comprar ou requisitar na biblioteca municipal para eles lerem em casa. Quanto às duas salas não ficaram vazias: a sede do agrupamento criou mais duas turmas. Este ano serão 370 os alunos sem biblioteca nem condições adequadas para a prática de desporto.

Abstenho-me de comentários sobre o
Projecto Petiz. No primeiro dia de aulas, os pais (e muitos professores) ainda desconheciam a orgânica do mesmo e o conteúdo das actividades. De resto, hoje, só estou a par dos horários. Desconheço o programa, o significado de siglas como OAE, em que consistem as AE (actividades artísticas) ou a EF (expressão física) a até o currículo dos professores. Vai ser difícil cumprir o ponto 3 desse projecto:

3. Informação aos Pais
É fundamental que os pais intervenham nos centros onde funciona o PETIz.
Pretende-se criar uma cultura científica e cívica de intervenção nas iniciativas propostas. Para isso:
1. Devem estar informados de todas as actividades.
2. Apoiar as actividades, colaborando com os professores nos aspectos organizativos.
3. Valorizar os aspectos da Aprendizagem, incentivando os filhos a uma cultura científica alargada.
Os Pais terão um contacto privilegiado com os Coordenadores Pedagógicos de cada área de intervenção.

2 comentários:

Anónimo disse...

Desculpa lá Elisa mas, de q escola estamos a falar?

MRF disse...

Anónimo, a Elisa comentou este post aqui: http://naocompreendoasmulheres.blogspot.com/2007/09/notas-sobre-uma-escola.html

Mas eu não sou Elisa.

A escola é a Escola EB1 da Glória.