9.10.09

Nobel da Paz para Barak Obama

E assim se faz História. Nunca este Prémio assumiu uma intenção tão claramente estratégica. A responsabilidade de Obama relativamente à política externa americana (o calcanhar de Aquiles de todas as Administrações, republicanas ou democráticas) é reforçada. numa fase muito inicial do mandato. Os EUA são chamados a liderar o mundo. pensando duas vezes. vinte vezes. antes de tomar qualquer decisão. Na verdade, o Comité Nobel não premeia Obama. condiciona-o duramente. E eu espero que todos os deuses, ao sétimo dia, reconheçam que isso foi bom.

7 comentários:

beijokense disse...

Tens toda a razão, não é um prémio, a intenção é entregar-lhe um presente envenenado.
Eu acho que daí não virá nenhuma consequência especial. Obama quer ser reeleito e, por enquanto, apenas os americanos votam nessa eleição.

Mona Lisa disse...

Olá Rosário

Será que o merece?
Será uma responsabilidade?
Estará à altura?

Espero pelas respostas!

Bjs.

-pirata-vermelho- disse...

Extraordinário tour de force!
Mistificação!


Começo a desistir de manter referências de duração alongada.
As referências terão a duração que for conveniente seja ela qual for, numa perspectiva utilitária, de oportunidade, sem intuito que não seja tecnicista. Deixarãode ser referências.
(Ou deixaram?
Sempre esta dificuldade em conjugar o futuro e o passado)

Spectrum disse...

O prémio terá sido atribuido após termos conhecimento da intenção de Obama em enviar mais 40 mil soldados para o Afeganistão?! Maria, nunca esperei, nem espero, grandes mudanças na política externa americana. Às tanta o bin Laden tem razão: o senhor não passa de um escravo negro que faz o trabalho sujo dos brancos..

tsiwari disse...

Exactamente o que penso sobre o assunto...

maria m. disse...

não nego a abertura e a diferente postura na política externa (em algumas situações) de Obama em relação ao seu antecessor. mas ele ainda tem pouco tempo de presidência e de acção no mundo. por isso, concordo que a atribuição do prémio só pode ter sido uma estratégia, uma responsabilização directa. (e isso era o factor determinante da atribuição deste prémio ao longo dos anos, era essa a essência do prémio?...)

Dylan disse...

O Nobel da Paz tem características diferentes dos restantes prémios atribuídos pela Academia Sueca. Desde logo, é atribuído em Oslo por um comité independente norueguês, laureando alguém ou alguma entidade que se distingue pela capacidade de resolver diplomaticamente diversos problemas, independentemente de ficarem concluídos ou não. Foi assim com Jimmy Carter, é agora assim com Barack Obama. Porque privilegia o diálogo e o bom senso entre os povos, porque ele próprio é o resultado da esperança e do sonho: ter sido o primeiro presidente afro-americano da história dos EUA. Um exemplo do idealismo norte-americano, ainda hoje cobiçado, abraçando causas como os Direitos Humanos e trabalhando internamente para um plano de reforma do sistema de saúde. Com Obama, voltaram as preocupações com o meio ambiente, com o desarmamento nuclear, com a desmobilização do Iraque e com a possibilidade do fim do embargo a Cuba. Apressou-se a condenar o golpe de Estado nas Honduras e a normalizar as relações institucionais com a Rússia, não esquecendo a tentativa de cativar o mundo árabe ao admitir a criação do Estado da Palestina , fundamental para a paz no Médio Oriente.

Negar isto, em menos de nove meses, é cair no discurso dos conservadores norte-americanos e de parte da esquerda europeia, recheada de tiques estalinistas.

http://dylans.blogs.sapo.pt/