8.6.09

Não gosto desta cor

Eleições Europeias - Portugal
Gráfico DN


Desta vez concordo com o Alberto João Jardim. Ele recomenda prudência ao PSD. Eu também. Nem pensem que esta mancha laranja se vai manter nas Legislativas. Era mau demais.

Enfim, há boas notícias: a subida (esperada) do BE colocou-o como a terceira força política do país. O BE merece. e o país também.

Em Aveiro, e já pensando nas Autárquicas, o cenário tornar-se-ia muito mais interessante (parabéns, Nelson) se o risco de termos mais do mesmo não se repetisse. O CDS tem mesmo que se agarrar à Coligação com o PSD (e parece que já tem a aliança assegurada/se o PSD imaginasse este resultado eleitoral, talvez não fosse assim). Mas o PS, o PS vai agarrar-se a quê? Dada a lógica dominante, os meus caros concidadãos vão acabar por reeleger Élio Maia... para penalizar Sócrates! É mau demais.

4 comentários:

JMO disse...

MAria do Rosario,

Gosto da maneira tortuosa como comentas os resultados. Elogias o Nelson Peraltas mas achas queo resultado do CDS - igual ao do teu Nelson - é mau e o PSD já não quereria a coligação...

Esqueces-te do Miguel Portas e que muitos do que votaram agora BE vão votar José Costa. Para mais, o BE ainda nem tem candidato...

MRF disse...

JMO,

Em 1º lugar, face ao resultado do PSD, a votação obtida pelo CDS dá-lhe fraca mais-valia do ponto de vista estratégico (o mesmo não acontecendo com o BE); em 2º lugar, o CDS em Aveiro tem um histórico de scores eleitorais bastante distinto do BE. O CDS liderou o distrito durante muitos anos! O BE, aqui, como no resto do país, posicionou-se PELA PRIMEIRA VEZ como a terceira maior força política. Parabéns pois aos seus lideres!

Nas Autárquicas, acho que os eleitores de esquerda vão continuar a «castigar» o PS e que o candidato José Costa - independentemente das suas qualidades intrínsecas - não vai ser capaz de inflectir a tendência. Votar BE é também afirmar o desejo de "fugir" aos dois partidos que alternam tradicionalmente o poder____ e o risco associado é muito menor ao nível da gestão autárquica (nas legislativas, o que está em jogo é o Governo do país - e aí sim, acho que muitos eleitores que votaram agora BE, vão voltar ao PS).

Qualquer cenário é tortuoso, meu caro. Adivinhar o comportamento (reactivo) dos eleitores, sabendo que as ideologias têm cada vez menor importância, implica colocar todos os cenários. Eu admito a possibilidade de errar completamente.

MRF disse...

Adenda:
Nas Autárquicas, em Aveiro, vamos viver uma situação particular (que se repete noutros municípios) - os eleitores poderão querer "penalizar" o actual executivo camarário PSD-CDS e/ou "castigar" ainda o partido do governo, socialista. Como irão reagir? Abstenção? Aqueles que estão desligados da vida política local e/ou são mais sensíveis aos casos mediáticos de "âmbito nacional", continuarão a bater no ministro Sócrates (ganha a coligação, ganha o BE)?
Os que avaliem negativamente o desempenho da coligação liderada por Élio Maia, perdoam ou mudam o sentido do voto (ganha o PS, ganha o BE/situação de voto disperso que obrigará a futuras alianças)?
Qual será o peso destes "segmentos"?

JMO disse...

Cara Maria do Rosário. concordo principalmente com a tua adenda :) Mas vamos às correcções: o CDS nunca foi lider no distrito. Foi sempre o PSD e só nas últimas europeias é que o PS tinha ganho o distrito.

Mas voltamos ao concelho. Como dizes na tua adenda, há o principio do castigo que nas autarquicas será duplo: quem não gostar da actual equipa, terá tendência para votar nas franjas ou votará PS sabendo que é alternativa. Quem não gosta do PS por causa do Socrates, ain votará coligação/BE/CDU...

Mas é na questão das alianças que o teu raciocínio se deve fixar: umas eleições autárquicas são por natureza personalizadas. E com um Capão Filipe (esmagador em termos de conhecimento espontaneo no concelho) o CDS teria votos suficientes para eleger um vereador. e com isso, pender o fiel da balança para o lado que vencesse... percebe-se agora a importância da coligação para os dois partidos?

O BE poderá ter hipóteses se apresentar um nome forte, o que não se vislumbra e se a campanha do PS for fraca. Ai, poderá conseguir qualquer coisa... Mas para isso precisa ter candidato. Algo que não tem.

E a CDU apresentou um candidato jovem e uma lista forte para a AM para contrariar a tendência de voto no BE... vamos ver o que dá