21.3.08

Sangue Sábio


Nessa noite caiu uma chuva ventosa e gelada. Deitada na cama, acordada à meia-noite, a senhora Flood, a senhoria, começou a chorar. Ela queria sair a correr para o meio da chuva e do frio, persegui-lo, encontrá-lo encolhido nalgum parco abrigo e trazê-lo de volta, dizer-lhe: senhor Motes, senhor Motes, você pode ficar aqui para sempre, ou então vamos os dois para onde você quiser, vamos os dois. Ela vivera uma vida dura, sem dor e sem prazer, e achava que agora, quando estava a chegar à última parte dessa vida, merecia um amigo. Se ela ia ficar cega depois de morrer, quem melhor para conduzir a cega senão um cego, que sabia como era? (...)
Dois dias depois, dois jovens polícias que andavam a patrulhar a rua de carro encontraram-no deitado num rego de escoamento perto de um estaleiro de obras abandonado. O condutor parou o carro perto da valeta e ficou olhando-o durante algum tempo.
«Não temos andad'à procura dum cego?», perguntou ele.
O outro consultou um bloco de papel.
«Um cego c'um fato azul, que nã pagou a renda», respondeu ele.
«Pois ele tá'li», disse o primeiro, apontando para a valeta. O outro polícia debruçou-se mais e olhou também pela janela.
«O fato desse nã é azul», comentou.
«É azul sim senhor», respondeu o primeiro. «E nã te ponhas em cima de mim. Sai lá do carro qu'eu já te mostro qu'é azul.»

pp. 176-177

___________________________________________________

Amiga, não são 20; são 24 anos de partilha. Nos livros então, é impressionante: tu gostas, eu gosto, e vice-versa. Este foi o terceiro livro da americana Flannery O'Connor que a Cavalo de Ferro publicou. Ainda falta o seu segundo romance, mas os que lemos recomendamos. Concordo contigo, prefiro a contista à romancista, e o segundo volume de contos, Tudo o que sobe deve convergir, é o mais impressionante, o mais cru e duro. O que andas a ler agora?

2 comentários:

Valentina disse...

Pois é estamos quase a fazer bodas de prata ( rs)!!
Foi pena o desencontro em Paris. Espero que se tenham divertido, apesar da chuva e frio. Quanto a livros acabei de ler " Frankie e o casamento" de Carson McCullers, por sinal uma contemporânea da Flannery, tb nascida na Georgia. A escrita dela tb é marcadamente sulista mas pareceu-me bastante menos gótica, mais solar. É interessante. Não sei se já leste alguma coisa dela, eu fiquei com vontade de conhecer mais coisas. Mas entretanto retomei " a mulher certa" do mesmo autor d "a herança de esther" mas o livro é pastoso, lento, não sei, parece que não fluí. Que me recomendas?

MRF disse...

LOL, A Mulher Certa tb foi um dos últimos livros e concordo com o pastoso___, li vários livros enquanto ía lendo esse. Vê o último post e ficas a saber o que ando a ler agora. Quanto a Carson McCullers, não li nada dela, acho eu! Mas trouxe umas coisas de Paris, ainda vou cuscar para ver com quem me vou embrulhar depois.

Beijokas. E Paris, pois, pas de bol! :)