19.5.05

Perfil


MG, O Poeta

Previno-vos já: se calhar não vão gostar. Mas aconselho-vos a ler com atenção. Alguns detalhes vão interessar-vos. Não são frases que vou atirar para o ar. Eu não sou poeta nem escritor. Para mim, as letras têm um sentido. Elas são seguidas de um efeito. Vocês vão ver, tenho a certeza de que tudo isto não vos vai agradar.
Já reconheceram a minha maneira de escrever. Ligaram o computador, clicaram no rato, escolheram este sítio. Não tenham pressa. Já agora, como é que têm passado? É ainda demanhã, ou estão na hora do almoço, ou é fim de tarde, ou já bocejam em frente ao écran? Doem as costas? Provavelmente estão a ler isto a 100, 200, 300, milhares de quilómetros daqui. Mas não fazem ideia de quem eu sou.
Sentem-se bem na vossa cadeira. É daquelas que rodam? Se for ainda manhã, já beberam o vosso café e a chávena vazia está aí ao lado, e agora parece suja. Mas só está vazia.
Confesso que tenho alguma dificuldade em falar dela no passado. É natural. Não olhei suficientemente para ela. Devíamos olhar sempre com muita atenção para as pessoas. Mas não foi assim e depois, no meu trabalho, quase que somos obrigados a olhar para elas como se fossem idiotas. É uma questão de vida ou de morte.
Sinceramente a primeira vez que a vi, nem a reconheci. Tinha uma desculpa, dela só existiam velhas fotografias a preto e branco. E no início ela não me disse quem era, usou prudência. Já vocês não foram nada prudentes. Leram o meu nome, viram o meu rosto duplo no perfil, mas nem sonharam que aquela era uma foto do Sokolsky e que eu podia ter inventado o nome.
Lembro-me de que ela me disse: és um homem bonito para a idade que tens! Essa mancha branca, os ombros um pouco caídos, típico dos homens que medem mais de 1,80m, dão-te um certo charme. Bebi a minha cerveja e comecei a pensar que ía adorá-la ou detestá-la. Ela não prestava atenção às minhas reacções, começou a ler o jornal do dia.
Já vocês, não sei. Prestam atenção às minhas respostas, desabafos, agrados, desagravos? Pois deviam.
Isto já vai longe e vocês já estão a pensar no blogue seguinte que têm que visitar, por cortesia ou porque se divertem mais, ou porque querem saber qual é a notícia do dia. Paciência. Estou aqui há seis meses, precisamente seis meses, a fazer de conta que sou a vamp do lado ou de lá de baixo, consoante usem o Internet Explorer ou o Mozilla, e na verdade, essa é ela.
Perceberam? O tipo lá de baixo no post "sou um homem" existe mesmo. Sou eu! E achei que era tempo de vos dizer a verdade.
Eu disse que não iam gostar. Mas há mentiras piores. Esta começou por vingança. Mas é patético vingar-me de uma tipa que saboreei e me saboreou. Quando se foi embora, ela abriu a porta, olhou para trás, abanou a cabeça mas não disse nada. Façam o mesmo se quiserem. Mas às vezes um sujeito tem vontade de por tudo em pratos limpos. Foi o que fiz. Bom dia! Boa tarde! ou Boa noite!

P.S.: Obrigada pá! Mas agora já sabes...

7 comentários:

Anónimo disse...

A subversão total!

:):)

Bin

bin_tex disse...

Acho que a malta ficou assustada com o post pá!

Quem diz a verdade não merece castigo não é??

Bin

Helder disse...

Profundo...MFR, não te enganes...nem deixas :)...emana de ti um perfume de mulher...total...não há que ter dúvidas...terás de caprichar muito mais para conseguires essa mudança de sexo...és Mulher...tou farto de trabalhar...do trabalho...dalguns(umas) idiotas destas bandas (trabalho)...e agora...é Boa Tarde ;)

jp disse...

:-) beijocas gajo/a

mfc disse...

Posso ser franco?
Gostei do outro, mas gostei mais deste.Está mais másculo, mais desprendido... mas voltaste a trair-te!
Um homem não repara na cháven aque está suja mesmo ali ao lado dele...

rodrigo terra disse...

Só falta a proverbial ajeitadela de t*m*t*s no fim. Adorei!
Um abraço, gajo.

bin_tex disse...

TOMA