29.11.09

Le marteau(!) du maître

Le Marteau sans Maître, a obra o conceito de Boulez que fixei. e depois de uma conversa, voltar a ouvir. é difícil aderir. eu, leiga. descobri um fragmento de Sur Incises, composição mais recente (com condução) do mestre. estranha-se sempre. às vezes entranha. Pierre Boulez nasceu em 1925. Com First Sonata for Piano, em 1946, inicia o movimento avant-garde na Europa. Em 1948, no pós-guerra, compõe a Second Sonata for Piano, considerada uma obra-prima e a melhor composição para piano escrita no século XX. ele vive antes-depois do seu meu tempo. eu ainda não nasci.


Pierre Boulez com Ensemble InterContemporain.

3 comentários:

-pirata-vermelho- disse...

O Boulez é um chato, é um músico importante; mas a sua música é 'tensa'... énormément...
par contre
a tua reflexão " ele vive antes-depois do seu meu tempo." é muito interessante, tem graça.

maria manuel disse...

a música clássica contemporânea é difícil aos ouvidos comuns. mas não desgosto de Boulez. e o próprio Zappa (um dos músicos de minha eleição) compôs dentro deste género e teve um trabalho dirigido pelo Boulez.

Maria disse...

maria manuel, o Boulez vai-se entranhando. mas confesso que preciso de "uma certa predisposição para".

pirata, essa sensação é boa. não compreender, não assimilar, estranhar, faz-me perceber que de facto ainda não nasci para muitas coisas. ou será apenas (às vezes) uma questão de (des)gosto pessoal?