3.5.09

L'eveil du coeur

William-Adolphe Bouguereau
The Heart's Awakening (L'eveil du coeur), 1892


Professor na École des Beaux-Arts, membro do Júri, Bouguereau fechava repetidamente a porta do Salon aos impressionistas. Estes vingaram-se inventando o termo "bouguereauté" para designar o estilo académico. Referindo-se a Bouguereau, Émile Zola, escreveu: «le triomphe de la propreté en peinture, des tableaux unis comme une glace, dans lesquels les dames peuvent se coiffer» (Lettre de Paris, le 2 mai 1875). Pois quando olho para esta imagem, também penso: "quel bouguereauté!"
Mas cai-me, desperta e volta a cair o coração pelo título da obra. L'eveil du coeur! Há lá coisa mais adequada ao sentimento de uma mãe face aos seus rebentos! Perdoem-me os modernos, há "bouguerautés" deliciosas! E depois, a ternura na expressão das figuras...

Charity - 1859 e Maternal Admiration - 1869

4 comentários:

Marta disse...

Um beijo. Diva mãe. :)

E...adorei ler-te, ali em baixo. Camus. Muito.
Gostei mesmo muito. Muito. Excelente sugestão.

Muito de te ler.

Bandida disse...

o teu blog está lindíssimo!!



beijo

MRF disse...

Diva, estrela, planeta, Marta, obrigada pela lembrança. E eu sei que tu já deves ter passado pela comoção que é esse livro do Camus... :)

Beijo

MRF disse...

Oh Bandida, esse comentário, vindo de quem vem, é mesmo muito agradável! Obrigada! E -----------beijos, já sabes.