10.7.10

Neptunus


o Neptunus tem uma cave. quando o capitão ordena, descemos ao "menos um" para ver o fundo do mar. ficamos dentro de um aquário invertido. nós, rodeados de vidros e oxigénio, a água no exterior. se o fundo do mar não decidir ficar nublado, podemos ver carcaças de velhos navios naufragados e até uma estátua que outrora estava plantada na costa. é um pequeno Cristo-Rei que nos fixa de braços abertos. é comovente. naquela pedra não há colónias de algas e peixes. é um milagre. submersos dentro do Neptunus é fácil acreditar em milagres. só há um senão: metade da tripulação enjoa sempre e nem ousa descer à cave. o Neptunus, ou a ondulação à volta da ilha do Sal, deixa as pessoas doentes ou milagradas. e isso está para além do pão nosso de cada dia. é natural, pois, que só os turistas procurem essa extraordinária experiência.

9 comentários:

Carlos Peixeira Marques disse...

Bem vinda de volta.
Também aderiste à escrita f?

Maria disse...

olá, Carlos! ... mas o que é a escrita f?

Carlos Peixeira Marques disse...

É a escrita que começas as frases com minúscula.

Rosa dos Ventos disse...

Deve ser um belo espectáculo!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Deve ser um belo espectáculo!

Abraço

Maria disse...

Ah, ok, Carlos, mas então não é escrita f nem escrita v (de valter hugo mãe)... Acho que o mais longínquo que encontro é a escrita c (de e.e. cummings). e sim, adepta. do cummings. bjs

Maria disse...

Rosa dos Ventos, é sim, se não enjoares...:))

Carlos Peixeira Marques disse...

A tua versão é ligeiramente diferente, porque escreves os nomes com inicial maiúscula. Talvez isso seja mais f. mas deixa lá, no Buçaco voltaste à normalidade :D
Terá sido efeito d'Os Lusíadas?
Bj

maria manuel disse...

deve ser fabuloso :)