9.2.10

Também não me preocupei

Primeiro levaram os negros,
Mas não me importei com isso,
Eu não era negro.

Em seguida levaram alguns operários,
Mas não me importei com isso,
Eu também não era operário.

Depois prenderam os miseráveis,
Mas não me importei com isso,
Porque eu não sou miserável.

Depois agarraram uns desempregados,
Mas como tenho meu emprego,
Também não me preocupei.

Agora estão me levando,
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

Bertold Brecht



3 comentários:

APC disse...

Surpreende-me que te surpreendas, Maria! Os bandalhos dos advogados dos "coitadinhos" dos acusados até já chama violência ao tempo decorrido quando tudo fizeram para impedir o natural decorrer do julgamento. Lembro, por exemplo, o "sósia" que a filha de um dos advogados arranjou. Tudo serviu para.
No final lixa-se o BIBI, as vítimas e os contribuintes que ainda hão-de pagar as chorudas indemnizações aos "pobres" acusados. Pobres e impolutos, já se vê. Depois ninguém entende porque é que eu acho que na ausência de justiça se deva usar uma arma...
Espero-te melhor. Beijinhos

maria manuel disse...

muito a propósito e sempre actual o poema de Brecht.
o processo da casa Pia, os crimes em deliberadamente arrastado julgamento, enojam-me... os crimes, as pessoas, a chamada justiça,...

Ludmila . disse...

Navegando por paragens desconhecidas cheguei até aqui e gostei muito de tudo o que vi até agora. Dá-me licença que continuarei a ler.

:)

Abraço brasileiro.