4.3.09

Desconserto no Museu de Aveiro


As obras de ampliação e requalificação do Museu de Aveiro deram que falar mas nunca se falou o suficiente. No decorrer das obras, face a descobertas de interesse arqueológico, dominou o silêncio. E é este que continua a dominar: onde estão «os vestígios de estruturas antigas»? O Museu reabriu, as obras estão praticamente finalizadas. Parece que todos preferem festejar e não questionar o que se fez com 5.080.669,00 euros, valor estimado da obra (sendo a comparticipação comunitária de metade). O projecto tem a autoria do arquitecto Alcino Soutinho. A fiscalização esteve a cargo da delegação de Coimbra da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais. Mas, na minha simples opinião, o museu foi alvo de um atentado!

Antes das obras, a entrada do museu, em chão de mosaico antigo, de barro escuro, dividia o espaço branco das paredes por sete painéis de azulejos recortados, da primeira metade de setecentos, ali instalados depois de terem sido retirados da antiga Sé ou Recolhimento de S. Bernardino. ESTE ESPAÇO FOI DESTRUÍDO. OS PAINÉIS ESTÃO EXPOSTOS DE FORMA ALINHADA NUMA DAS NOVAS SALAS DE EXPOSIÇÃO.

As várias salas, organizadas agora segundo os períodos convencionais da história de arte, são frias, não passam de mostruários de arte sacra. AS PEÇAS FORAM DESCONTEXTUALIZADAS. Torna-se mais prático digitalizar o espaço e fazer uma visita virtual!

O Claustro. No centro, o chafariz entre degraus e bancadas revestidas de azulejos de figura azuis e brancos da primeira metade do século XVIII. NÃO FORAM RESTAURADOS.
À volta do claustro, as salas sucedem-se. A maior guardava o túmulo de João Albuquerque e sua mulher D. Helena Pereira, inicialmente feito para ser colocado numa capela da Igreja de Nossa Senhora da Misericórdia (actual Sé), da qual tinha o padroado. A sua vinda para o museu deu-se em 1945. EI-LO, ACTUALMENTE:

O que aconteceu às outras salas, não sabemos. O espaço ainda está vedado ao público. Temo pela «requalificação» das capelas de S. Simão, de S. João Batista, de S. João Evangelista, do Refeitório.

O acesso ao Claustro alto também está vedado. Mas uma mudança sobressai: AS PORTAS AO LONGO DA VARANDA FORAM TRANSFORMADAS EM JANELAS.

Antes das obras de «requalificação», saíamos do coro alto ao encontro dos testemunhos da vida da Beata Joana. Três pequenas divisões, abertas do lado do coração. Mantiveram essas salas. Mas O PAVIMENTO EM MÁRMORE FOI SUBSTITUÍDO POR UM MODERNO SOALHO DE MADEIRA E O SEU NOVO ENQUADRAMENTO DESTRUIU POR COMPLETO O AMBIENTE CONVENTUAL QUE DIFERENCIAVA ESTE MUSEU DE QUALQUER OUTRO. A OPÇÃO FOI A DE DEITAR PAREDES ABAIXO E ERGUER UMA SÉRIE SALAS DE EXPOSIÇÃO. Não há permissão para fotografar as salas (restrição que é cada vez mais exclusiva deste país). Centremo-nos apenas nesta nova entrada para o segundo piso:



Parece-me insano rasgar o espaço do convento com esta ponte de betão e metal. Mas enfim, é apenas a minha opinião.

A mística do museu, os pequenos detalhes, diluiram-se nestas novas linhas de modernidade acéfala. A ruptura com as suas origens é irremediável. A casa mandada erguer por D. Brites Leitão foi fulminada. O convento que D. Afonso V e sua corte lançaram após a bula papal de Pio II em 1461 perdeu a alma. É desesperante o que fizeram ao segundo claustro! O chão foi todo levantado (o que fizeram aos mosaicos antigos?), substituído por pequenos seixos elegantes. O poço passou a estrutura acimentada, bastante grosseira (o que fizeram dos azulejos?). O passeio envolvente está coberto por uma estrutura metálica, tipo marquise!!! É preciso ver e rever para acreditar! Enfim, foi o que me aconteceu, mas devo ter sido a única...
Quanto à Igreja do Convento de Jesus, não foi tocada. Felizmente, a parte mais antiga da construção, quatrocentista, estava fora do projecto!

Não adianta muito, ou nada, expressar esta opinião. Deve ser por isso que ninguém fala, como eu falo, e repito, de atentado a um Monumento Nacional. Autarquias, Secretarias de Estado, continuem no bom caminho! O povo não é quem ordena!

12 comentários:

Mona Lisa disse...

É o novo "ruir" do nosso Património Histórico.

Lamentável!!!


Bjs.

Elisa

MRF disse...

O nosso patrimoónio ou está a ruir ou é objecto de projectos faraónicos que esquecem a matriz original dos monumentos e, no caso deste museu, os conceitos mais elementares sobre o que deve ser um espaço museológico com apetência para ser «vivido» pelo público. O importante era realçar as belas peças da colecção do museu estimulando uma relação de «caring» entre o público e aquele espaço único - sendo que este antigo convento nunca poderia ter a configuração do centro de arte moderno da Gulbenkian ou do Centro de Estudos Camilianos de Siza Vieira em Famalicão! As várias salas organizadas agora segundo os períodos convencionais da história de arte são frias. As peças foram descontextualizadas. Torna-se mais prático digitalizar o espaço e fazer uma visita virtual!

Claudia Sousa Dias disse...

então destríram uma obra de interesse histórico, que fazia parte do patrimóinio histórico para construir um mamarracho moderno!!!

santa ignorancia!!!

que sensação de dejá vu a fazer lembrar o desaparecimento do antigo edifício do Palácioe de Cristal no Porto ou o cinema Monumental em Lisboa.

há que ter sensibilidade...


CSD

AP-EB1-GLÓRIA-AVEIRO disse...

Cláudia, a fachada manteve-se e não se tocou na Igreja e coro alto... O museu, antigo convento de Jesus, deixou apenas de se parecer com um convento. Agora é um mostruário de arte sacra.

Mona Lisa disse...

Compreendo e apoio a tua indignação.

Bjs.

Elisa

Spectrum disse...

Tudo se (des)faz neste cantinho monolítico de gente "iluminada". Ainda me vou perguntando porque não pegamos numas armas e pedimos contas a estes cretinos.
Beijos, Maria

MRF disse...

Spectrum, terrorismo desse não! mas uma revolução é urgente,sim, por tantas razões...

Anónimo disse...

Não foste a única não! O post esta excelente! Devo te dizer que me inspiraste para o meu trabalho sobre o museu! Está bem escrito, simples e com o essencial!

Parabens pelo Post!

MRF disse...

Obrigada, anónimo! :)

日月神教-向左使 disse...

成人論壇,080聊天室,080苗栗人,免費a片,視訊美女,視訊做愛,免費視訊,伊莉討論區,sogo論壇,台灣論壇,plus論壇,維克斯論壇,情色論壇,性感影片,正妹,走光,色遊戲,情色自拍,kk俱樂部,好玩遊戲,免費遊戲,貼圖區,好玩遊戲區,中部人聊天室,情色視訊聊天室,聊天室ut,成人電影,成人遊戲,成人文學,免費成人影片,成人光碟,情色遊戲,情色a片,情色網,性愛自拍,美女寫真,亂倫,戀愛ING,免費視訊聊天,視訊聊天,成人短片,美女交友,美女遊戲,18禁,三級片,自拍,後宮電影院,85cc,免費影片,線上遊戲,色情遊戲,日本a片,美女,成人圖片區,avdvd,色情遊戲,情色貼圖,女優,偷拍,正妹牆

João Pereira disse...

Eu que do antigo museu so conheço a igreja (quando o visitei já o museu estava em obras), fico chocado com as fotos que vejo! Paredes brancas, tectos com uma reentrancia triangular mas que nem é luz zenital nem nada que se pareça, é que isso nem mostruário de arte sacra é, são imples paredes brancas com com mesas brancas de péssimo gosto, tudo disfarçado de "comtemporâneo"! por favor, exige-se saber qual o concurso público que fez com que esse projectos de "pseudo arquitectura fosse avante"! é uma vergonha nacional o que se fez. !

Maria disse...

Caro João Pereira, não houve concurso público. Houve um convite.

Um abraço
Rosário Fardilha