12.12.11

Concurso de Natal 2011- Camelos do Presépio

A notícia é perturbadora mas não surpreendente. Na passada semana, Maria e José já haviam alertado sobre a possibilidade de Belchior, Baltasar e Gaspar terem fugido para parte incerta. Os três reis, pressionados no sentido de distribuir mais equitativamente os presentes de Natal e temendo certamente a vaga de tumultos que alastra por todo o Médio Oriente, poderiam não satisfazer a vontade bíblica. Os pais do futuro messias (que se chamará Jesus) transmitiram a sua preocupação aos jornalistas que os acompanham no trajecto em direção a Belém, afirmando: "Sem incenso e mirra passamos bem, mas sem ouro não nos aceitam nem na Cisjordânia!"
Hoje foi divulgada uma fotografia dos reis alegadamente em fuga. Um beduíno terá captado a imagem no sudoeste da Síria, próximo do oásis Palmira, o que poderá indicar que os magos se encaminham para o Irão. O presidente Ahmadinejad já informou a ONU que o seu país dará abrigo a Baltasar, mantendo reservas relativamente a Melchior e Gaspar.

Os camelos do Gaspar e do Baltasar, alegadamente em fuga pelo deserto

Dadas as circunstâncias, tememos que o Concurso Camelos do Presépio, evento de grande significado organizado pel' A Barbearia do Senhor Luís, só possa contar com esta panorâmica traseira e parcial.
Deixo votos de Feliz Natal para o organizador e para todos os concorrentes admitidos, na esperança de que unidos consigam(os), pelo menos, resolver o mistério que a imagem levanta:  onde está o traseiro do camelo do Belchior, também conhecido por Melchior ou Melquior?

4 comentários:

mfc disse...

A ironia continua a ser uma grande arma!

Luis Novaes Tito disse...

Venho cá agradecer este valioso contributo e deixar os meus melhores votos de Boas-Festas e os de que 2012 seja bem melhor do que aquilo que nos anunciam.
Abraço.

lenço de papel; cabide de simplicidades disse...

Gostei muito. Um contributo cheio de ironia fina. Parabéns Rosário

Maria do Rosário Sousa Fardilha disse...

Muito obrigada a todos! __e parabéns pela iniciativa que nos diverte em tempos sombrios, caro Luís Novaes Pinto!