14.5.10

À escuta #104

- A., a minha amiga já chegou, vem cumprimentá-la!
(Não aparece)
- A., vem cumprimentar a minha amiga!
(Aparece mas não olha para ninguém, não cumprimenta)
- A., dá um beijinho, o que é que se passa!
(Vai embora)


[A sós com ela:
- (...) foste extremamente mal-educada, não aceito esse tipo de comportamento, já não és um bebé, faz o favor de ir cumprimentar a senhora!
A. - Acabei de acordar, não consigo ser simpática.
- Mas posso saber o que se passa? Qual é o problema? Não te reconheço!
A. (sempre num tom teatral) - A tua filha, eu, nem sempre tem vontade de agradar.__________ Podes pedir desculpa à tua amiga?
- És tu que vais pedir desculpa. Vem comigo.
- Não, não vou!

(Castigo - o mais terrível de todos: não há teatro, ou seja, novelas, Morangos com Açucar, até decisão contrária. mas, se isto for o início da puberdade, ... faço o quê?)(M., desculpa!)

5 comentários:

Fatyly disse...

Sabes Maria eu em miúda tenho recordações terríveis porque levei tantas por não cumprimentar quem os meus pais queriam e sobretudo com o malfadado beijinho.

Com as filhas, sobretudo com a minha mais velha, cumprimentava mas beijos tá quieta e pensava sempre tens mesmo a quem sair, até que um dia uma senhora que adorava beijos e agarrava-a (coisa que também detestava) ela em alta voz disse: não quero mais beijos teus porque os teus pelos picam. Imaginas a minha cara?

"o início da puberdade" começa nessas pequenas coisas e há que saber aplicar "castigos na hora e com sentido" no que toca a estes "pequenos sinais de provocação":), mas cá para nós que ninguém nos ouve...custa tanto aplicá-los!!!:)
Prepara-te que outros virão e há que saber respirar fundo 5500 vezes :)

Beijos

Maria disse...

Ai Fatyly, a vontade de mandar uma chapada é mesmo enorme! Já ando a avisar que agora "já têm corpinho para para apanhar umas valentes". Ficam muito sentidas. É como dizes: respiro fundo... Mas é cá um vexame!

Fatyly disse...

Oh se é linda, mas talvez por eu ter sido tão contrariada e ter levada tanta reguada que a coisa não resultou mesmo. A minha mãe ainda hoje fala nisso:)

A minha neta mais velha (fez 7 anos) é tal e qual a mãe e quando digo, cumprimentem sfv, lá se ouve o côro: boa tarde ou bom dia, porque já lhes disse que para ser-se educado não são preciso beijos. A mais nova (4 anos) é de dar beijos, besunta-me toda mas também só dá a quem ela encara com mais gosto:)

Não me arrependo das palmadas que dei às minhas filhas, mas jamais na cara!
Com as netas, ah pois comigo não há birras e há dias dei uma à mais nova que olhou para mim e com um ar de rata: é a sério Bóbó? Achas bem o que fizeste? e desatou num pranto e deixei-a. Tudo porque dei 6 gomas a cada uma e numa tigela, enganei-me e dei-lhe uma a mais. Pôs-se a gozar com a irmã e eu fui e tirei-lhe a goma e ela atirou com a tigela...Uiiiiiiii menina é na hora e mais nada:)

Como vês, digam o que disserem, todos atravessamos fazes tão parvas e ainda vais atravessar a "fase do armário" que é dose p'ra xuxu:):):)

Ser mãe e pai é isso mesmo...respirar fundo mas nunca castigar fora de prazo mas sim na hora!!!

Rosa dos Ventos disse...

Nunca se deve obrigar uma criança a cumprimentar quem ela não quer porque isso fará com que ela deteste essa pessoa!
Digo eu, mesmo sem pedires a opinião... :-))

Abraço

JP disse...

Olá Maria!
Estava pesquisando sobre gêmeos e encontrei seu blog. Moro na capital de São Paulo-Brasil e sou gêmea bivitelina.Criei um blog com o propósito principal de reunir histórias de gêmeos - ou contadas por eles mesmos ou por seus familiares (mães, pais, cônjuges, filhos etc). Portanto, será um prazer postar seu relato também. Vale ressaltar que todos os textos são postados com os devidos créditos.

Qualquer dúvida, disponha!
Abs, Jemima Pompeu
E-mail: jemimapompeu@gmail.com
http://www.vizinhosdeutero.blogspot.com
Twitter: @vizinhosdeutero